16 de fev de 2017

Pensata

Gasolina: prós e contras
1-Gasolina brasileira é ruim?
Pelo contrário, está entre as melhores do mundo, em termos de octanagem e teor de enxofre. Pena o excesso (27%) de álcool misturado.
2- A comum já tem aditivo?
Existe uma determinação do governo para que toda a gasolina comercializada no Brasil seja aditivada. Mas ANP, distribuidoras e fábricas de aditivos ainda não chegaram a um acordo em relação à aditivação padrão. Nova data prevista em julho deste ano.

3-Só “aditivada” tem aditivo?
Não: as gasolinas especiais (Premium e Podium) também contam com a aditivação. A única sem aditivação é a “Comum”.

4-Tem gasolina Super no Brasil?
Manuais de automóveis importados com motores de alto desempenho recomendam a gasolina Super ou Super Plus devido à elevada taxa de compressão. No Brasil, a Premium e a Podium atendem a esta especificação. Mas, o uso da comum ou aditivada não prejudica o motor, pois a central eletrônica o ajusta automaticamente. Apenas perde alguns cavalinhos...

5-Etanol aditivado?
Os aditivos (dispersantes/detergentes) são adicionados à gasolina para evitar a formação de depósitos carboníferos na câmara de combustão, devido ao elevado teor de carbono da gasolina. Entretanto, o percentual de carbono do álcool é de 1/3 em relação ao da gasolina. Por isso ser desnecessária a aditivação do etanol.

6-Especial aumenta desempenho?
Depende: a gasolina especial, com maior octanagem (Premium, Podium), é indicada para motores com taxa de compressão elevada, acima de 10,5 ou 11:1. Só com ela se obtem a potência declarada pelo fabricante. Por outro lado, em motores de baixa compressão, abastecer com gasolina especial não muda em nada o desempenho.

7-Octanagem: que bicho é esse?
É a capacidade do combustível de resistir à compressão a que é submetido dentro do motor antes de ser queimado. Por isso, quanto maior a taxa de compressão do motor, maior deve ser a octanagem da gasolina. E maior a probabilidade de ocorrer uma combustão anormal (pré-ignição ou detonação ou “batida de pino”) caso o combustível seja de baixa octanagem. Este índice é medido de duas formas, RON ou MON e no Brasil é indicado por um valor médio entre eles, o IAD.

8- Tem aditivada que aumenta a potência?
Ao contrário do que se anuncia por ai, nenhuma aditivada aumenta a potência, apenas evita sua redução no correr do tempo. A importância da aditivada é evitar a formação de depósitos que prejudicam a combustão, o que acaba reduzindo a potência do motor.

9- Como evitar a gasolina com chumbo?
Existem manuais que recomendam evitar a gasolina com chumbo. E outros recomendam o uso da gasolina com 95 octanas. Estas duas recomendações são feitas apenas para o caso do carro exportado ou que viaja para outros países. Pois no Brasil já não existe há muitos anos a adição de chumbo tetra-etila, exceto na gasolina para a aeronáutica. Quanto à octanagem, qualquer gasolina vendida no Brasil atende a recomendação das 95 octanas, até a comum ou aditivada.

10- Por quê tem fábrica que recomenda gasolina comum?
Alguns manuais sugerem o uso da comum, por um motivo simples: todas as fábricas sabem da importância dos aditivos na gasolina. Entretanto, a aditivação não é padronizada, cada distribuidora acrescenta os aditivos que bem entende. Além disso, não existe controle nem fiscalização nos postos. Então, a única gasolina padronizada no Brasil é a “comum” e por isso ela é usada nos testes e indicada pelas fábricas. Que não podem correr o risco de ter problemas nos motores de seus usuários pelo uso de gasolina com aditivo de baixa qualidade. Até que toda a nossa gasolina receba aditivos (previsto para julho deste ano), é importante abastecer com aditivada. Ou com a comum, desde que e o motorista adicione ao tanque, ele mesmo, um frasquinho de aditivo.

0 comentários:

Postar um comentário