15 de dez de 2015

Garagem

Para que ESP? Acidente só acontece com os outros!
Ao responder pesquisas, o brasileiro diz se preocupar com a segurança do automóvel. Mas só na pesquisa. Tanto isso é verdade que algumas marcas asiáticas, por exemplo, conquistaram o mundo pela imagem de qualidade e confiabilidade de seus produtos, mas não se preocupam em equipá-los com itens de segurança. A rigor, o brasileiro acha (ou tem certeza?) que acidente só acontece com o vizinho e o primo...
Dois bons exemplos desta indiferença do brasileiro para a segurança veicular estão em dois campeões de vendas do nosso mercado. Um é coreano, o outro, japonês. Um está no topo da lista dos compactos mais vendidos. O segundo é o sedã médio que lidera o segmento. Nenhum oferece um dos mais importantes dispositivos eletrônicos de segurança.

O compacto segundo lugar em vendas no país é o Hyundai HB20, que não oferece o sistema eletrônico de estabilidade (ESC ou ESP) nem como opcional. A fábrica costuma se defender alegando ser um compacto, de custo baixo e que não justifica equipá-lo com um dispositivo tão sofisticado. Argumento que não resiste, pois outros compactos brasileiros como os Ford Ka e Fiesta e o VW Fox podem vir equipados com ESC.

Para quem não sabe (e ninguém sabe...), o ESP percebe que o carro começa a derrapar lateralmente numa curva (ou golpe de volante) da estrada e o coloca de volta na trajetória, evitando acidentes graves.

Ainda pior é outro campeão de vendas entre os sedãs médios, o Corolla: nem mesmo seu modelo mais sofisticado, o Altis, vendido por mais de cem mil reais e um dos mais caros do mercado, oferece o ESC sequer como opcional. A culpa é da Hyundai ou da Toyota? Em parte, pois se o brasileiro fosse mais preocupado com segurança, se negaria a adquirir um modelo, barato ou caro, sem este dispositivo. E que nem é tão caro assim: desde que o carro já tenha freios ABS, o custo adicional não chega a U$ 500. Barato pela quantidade de vidas que poderiam ser poupadas. Mas, enquanto não for obrigatório (na Argentina, será a partir de 2018. No Brasil, o Contran ainda está “estudando” o assunto) o brasileiro vai continuar preferindo rodas de liga e ar condicionado...

Texto de Boris Feldman
http://www.hojeemdia.com.br/m-blogs/boris-feldman-1.290493/para-que-esp-acidente-s%C3%B3-acontece-com-os-outros-1.366631

0 comentários:

Postar um comentário