26 de jun de 2014

Brazil Classics Fiat Show 2014

Ocorreu na última semana, de 18 a 22 de junho na cidade mineira de Araxá, a 21ª edição do Encontro Nacional de Automóveis Antigos, que ocorre a cada dois anos, o Brazil Classics Fiat Show, 2º maior evento relacionado ao antigomobilismo da América do Sul e o mais sofisticado do Brasil. O evento ocorreu simultaneamente com o encontro de Águas de Lindóia, fazendo com que os 300 automóveis esperados não comparecessem em sua totalidade, mas os grandes destaques não deixaram de marcar presença. Sediado no espaço em frente ao Grande Hotel, contou com a presença de cerca de 20 mil pessoas, que puderam ver as preciosidades de pertinho, e nossa equipe esteve por lá.
Vamos começar pelos destaques:
 A cada edição um carro é premiado como “best of show”, com o troféu Roberto Lee, que homenageia um dos pioneiros do antigomobilismo no Brasil. Desta vez quem recebeu o prêmio foi um Bugatti Type 57 Stelvio Cabriolet, de 1938.

O prêmio de “Hors Concours” foi para a Ferrari 225 S Barchetta Vignale de 1952, que é simplesmente a Ferrari mais rara e valiosa do Brasil. Só se sabem de cinco unidades em todo o mundo das oito produzidas. Foi restaurada recentemente pela própria fábrica, e ganhou um motor V12 novinho, igual ao seu primeiro.

Outro italiano extremamente raro é este Isotta Fraschini 8 A Cabriolet D’Orsay de 1925. Pode se dizer que cada Isotta é único no mundo, pois cada modelo encarroçado possuía características singulares, relacionadas principalmente ao acabamento interno.

Logo na entrada um tcheco chamava atenção de quem passava por ali: o Tatra 87 de 1947 possui características que o tornam diferente dos antigos que estamos acostumados a ver, como os três faróis na frente, a carroceria que se assemelha a um besouro comprido, a traseira “diferenciada”, dentre outras.

Outro modelo singular e pouco conhecido era o inglês Armstrong Hurricane de 1948, com seus traços futuristas e sua bela cor.

Agora um centenário: o Peugeot Torpedo Labourdette de 1908!

Belos Packard também foram expostos: 

Este Reggia 1978 foi premiado como o melhor veículo de fabricação artesanal!

O evento contou com alguns automóveis de museus de todo o Brasil, como estas raridades do museu Roberto Lee, de Caçapava-SP, que está em processo de recuperação.

Os veículos presentes em maior quantidade foram os americanos, com destaque para a quantidade de Cadillacs expostos, Corvettes e muscle cars.

Os italianos estiveram bem representados pelas marcas:
. Alfa Romeo, com os raríssimos 6C 2500 Beneschi (azul) e Giulia SS (vermelho), dentre outros.

. Ferrari, com cerca de dez exemplares expostos e três para leilão. Fora a 225, todos já são conhecidos de nossas lentes, como a imponente e rara Ferrari 250 GTE.

. Maserati, representada apenas pelo Bora, assim como na última edição do evento.

.Lamborghini: ...ops! Não teve nenhuma Lamborghini! Assim como no Brazil Classics de 2012, a única decepção dos amantes de italianos foi a ausência de esportivos da marca.

A Fiat, maior patrocinadora do evento, trouxe alguns carros nacionais que fizeram parte da história dos brasileiros, carros de competições e para test drive, mas o destaque ficou por conta dos de origem italiana 509A Torpedo de 1927 (o primeiro carro 1.0 da Fiat) e o Castagna 1919.

Além do Bugatti e do Peugeot, descritos anteriormente, outros franceses embelezaram o e evento: os clássicos da Citroën:

E agora os ingleses, que foram bastante apreciados pelo público presente:
. Aston Martin: foram nada menos do que três DB6 expostos, além do Aston V8.

. Bentley: belíssimas joias que são facilmente confundidas com Rolls-Royces.

. Jaguar: mesmo não estando num local de destaque do evento, atraíam o olhar das pessoas com seus traços singulares e charmosos.

. Morris Mini: esse simpático Mini Panel despertava a curiosidade de crianças e adultos:

. Rolls-Royce: você já deve ter ouvido falar ao menos uma vez dessa marca. Famosa por servir de transporte para membros da Família Real inglesa, presidentes e autoridades de várias partes do mundo e celebridades, contou com uma grande quantidade de exemplares em exposição, com destaque para as limousines e os conversíveis.

E os alemães não fizeram feio:
. BMW: destaque para o Dixi Ihle 1928 com apenas seis exemplares no mundo, M3 E30 de 1987, dentre outras.

. Mercedes-Benz: a estrela de três pontas fez sucesso em Araxá, principalmente com a 300SL “Asa de Gaivota”, tão bonita quanto valiosa.

. Porsche: poucas unidades presentes neste evento, afinal de contas em 2012 houve uma homenagem à Ferdinand Porsche, com um espaço dedicado somente a eles. Mesmo assim marcou presença com alguns exemplares, como este raro 911 Carrera RS.

Na sexta(20/6) pela manhã ocorreu um passeio por Araxá, em que dezenas de raridades desfilaram pelas ruas da cidade fazendo a alegria de moradores e visitantes. Confira abaixo algumas delas: BMW 2002 ti Alpina (única no Brasil), Mustang conversível, Fiat 5C 1924, Plymouth GTX, Ferrari 308 GTS, Ford Thunderbird.

Ao longo da tarde e da noite ocorreu um leilão de automóveis dividido em 2 partes. Uma oportunidade para os colecionadores de arrematarem alguma preciosidade sobre rodas e uma diversão para quem foi assistir. O carro mais caro vendido sob o martelo foi uma Ferrari 308 GTSi, por R$205 mil. Outro excelente negócio para o antigo proprietário foi uma BMW 1600 Cabriolet, leiloada por R$85 mil.

Foram a leilão 84 veículos, dos quais a maioria não foi arrematado, como um Cadillac conversível de 1941, que teve lance máximo de R$550 mil, e o valor de reserva era R$600 mil. A Mercedes 380 SL, o Porsche 928, o Ford Galaxie Ambulância (nacional, com apenas esta unidade no Brasil, até onde se sabe), o Fusca da última série nacional, com apenas 140km rodados, o raro Triumph TR4A e o também raro Shelby GT500KR, dentre outros, também não tiveram a sorte da 308 GTSi.

Além do Shelby acima mostrado, outros esportivos da atualidade podiam ser vistos no evento, como o Maserati Gran Tursimo S, Mustang GT, Mercedes G55 AMG e SLS AMG, a irmã mais nova da clássica “Asa de Gaivota”.

A organização do Brazil Classics Fiat Show está de parabéns. Mais uma vez, mesmo com outro importante encontro ocorrendo simultaneamente, conseguiu reunir os principais clubes de colecionadores e as principais raridades sobre rodas do país num só lugar. Que a 22ª edição seja melhor ainda, e até 2016!

- por Lucas Freitas

0 comentários:

Postar um comentário