25 de out de 2012

Os "problemas" de ter um exclusivo

Grande parte das pessoas acham que após a compra de um carro basta encher o tanque e olhar o nível do óleo, isso quando o frentista do posto pergunta. O hábito da manutenção preventiva não existe para a maioria dos brasileiros, restando apenas a manutenção corretiva e que acarreta custos bem maiores.

Para os felizardos que conseguiram comprar um carro exótico os cuidados, e dores de cabeça, são muito mais constantes devido a alta tecnologia empregada no veículo. Uma comparação básica, uma Ferrari troca totalmente o óleo a cada 5 mil quilômetros ou menos - independente da quilometragem total do modelo, enquanto muitos populares chegam a rodas mais de 10 mil quilômetros. Ao custo de aproximadamente R$1.000,00 você consegue renovar o reservatório de fluido da sua Ferrari.

Mas outro problema enfrentado pelos proprietários é a falta de oficinas especializadas no serviço, ninguém vai levar seu Porsche para uma revisão em oficina especializada em VW - as marcas podem ser do mesmo grupo, mas são mundos totalmente diferentes. Nas grandes capitais já existem algumas renomadas oficinas, mas sempre com grandes filas de espera e preços bem salgados, na maioria dos casos.

Falando em esperar, prepare a paciência no caso de algum componente quebrar. No Brasil nem mesmo as raras concessionárias de carros exclusivos possuem um estoque de peças de reposição, fato que acarreta na necessidade de importação do material diretamente da fabrica do modelo. Uma simples mangueira de ar de uma BMW serie M pode demorar até 1 mês para chegar ao Brasil.

Ainda falando em peças de reposição, mas agora os pneus. Carros com potências acima do normal "gastam" muito mais o pneu do que um carro popular, afinal ninguém compra uma Lamborghini para ficar andando a 60 km/h e fazendo curvas quase parando. Existem alguns modelos que só um fabricante fornece o pneu correto, caso do Bugatti Veyron, e é necessário encomendar o jogo com grande antecedência e enviar um cheque no valor de 85 mil reais!

Até mesmo na hora de "curtir" o tão sonhado carro o proprietário enfrente dores de cabeça, nossas vias urbanas estão em péssimo estado de conservação, em Belo Horizonte podemos contar nos dedos as avenidas que apresentam um nível aceitável de pavimento. Os carros nacionais já saem de fabrica preparados para a precariedade das nossas ruas, mas os importados, principalmente esportivos, não estão em condições de trafegar pelas nossas pistas sem sofrerem danos a curto prazo - suspensão danificada, pneus furados, assoalho amaçado, etc.

Para piorar a situação não contamos com uma rede de postos de gasolina confiáveis, não é difícil ver na mídia denuncias de postos que adulteram o combustíveis. A Petrobras comercializa a gasolina Podium, de alta octanagem, a um preço de 50% mais caro que a aditivada, mas este não é um grande problema, a maior dificuldade é encontrar um posto que venda tal gasolina - geralmente concentrada em regiões mais elitizadas dos centros Urbanos. Para longas viagens o problema é ainda maior, postos com a Podium são raridade, quando existem você tem que fazer um grande desvio para chegar ao mesmo.

Somando a lista de problemas vem a segurança do carro e do seu dono. Ficou impressionado com a falta de educação dos curiosos que não conseguem simplesmente admirar um carro com os olhos, os "animais" tem que colocar a mão, tirar foto como si fosse o dono e até mesmo tentar abrir o veículo, chega a ser revoltante tais atitudes - muito comuns infelizmente. Ainda sobre este aspecto, alguns desocupados tem o prazer de buscar o nome do proprietário do carro x e sair divulgando para todos, uma total invasão de privacidade que é inadmissível.

Para fechar o post o pior problema de todos, ao meu ver, o valor absurdo cobrado pelos carros no Brasil. Um bom exemplo é o valor da Lamborghini Aventador, mais recente modelo V12 da marca. Com o valor de 2.8 milhões de reais em uma revenda da marca no Brasil, o carro tem uma carga de impostos gigantesca. Para um comparativo, o Aventador nos Estados Unidos tem seu preço na casa dos 400 mil dólares - cerca de 900 mil reais, fazendo uma conta por alto. Com os 2.8 milhões de reais cobrados no Brasil você pode compra a Aventador nos EUA juntamente com uma bela casa e ainda viajar todo final de semana para lá durante os próximos 10 anos e ainda vai sobrar algum dinheiro.

Não estou com a intenção de desmotivar algum futuro comprador de Ferraris, Lamborghinis, Porsches, etc, mas um carro deste padrão demanda um cuidado e gastos acima de qualquer normalidade e não queremos "curiosos" comprando tais modelos para acabarem abandonados por falta de manutenção ou descuido do seu responsável.

9 comentários:

  1. concordo plenamente,mas o fato dos `animais`curiosos não poderem tirar foto é revoltante,saber como vcs tratam seus leitores,é despresivel,quem vai na raja e tira uma foto tambem tambem entra no site para ver suas fotos,so vcs pode fazer isso?... ja parabenizei um de vcs pessoalmente pelo seus trabalho.mas chamar apaixonados por carros de animais.é imperdoavel,claro que concordo que colocar a mão,divulgar nome dos propietarios é uma baita sacanagem.mas agora criticar quem quer uma lembraça dessas maquinas tiradas pessoalmente é sacanagem.isso é medo de concorrencia?e se so os donos podem tirar foto,vcs tambem nao poderiam!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Mas a crítica realizado pelo site tem cabimento Julio Cesar. É uma invasão de privacidade ficar tocando no carro tirando foto com ele, procurar o dono, "perguntar se pode entrar" isso é um desrespeito tremendo.

    O site não criticou ninguem diretamente, e nem está relatando algo que eles fazem. Você já viu alguma foto deles escorados no carro, fazendo cara de "di patrão" e se exibindo por estar no lado de um possante? Isso é coisa de "animal" como afirma o texto. É desses que eles estão criticando pelos atos tolos.

    Muito bom este texto! Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Julio: Não chamamos qualquer um que tira fotos de "animais", e sim aqueles saem passando a mão nos carros, sentando no capô para tirar fotos, tentando abrir o mesmo e algumas vezes até entrando no mesmo sem permissão!

    Parece absurdo, mas já presenciamos cenas difíceis de acreditar!

    Tirar fotos de carros é saudavel! Desde que tenhamos respeito uns aos outros =]

    ResponderExcluir
  4. Julio Cesar, não estamos chamando nossos leitores e nem pessoas que tem noção de "animais", mas sim aquelas pessoas que não tem um respeito pela propriedade alheia. Frequentemente deparamos com absurdos como pessoas sentadas em cima dos carros, vidros todos manchados e até arranhados. O recado foi para ver com os olhos, não com as mãos. Caso o dono do carro de a liberdade de tocar, entrar e etc fique a vontade, do contrario observe o bólido somente com os olhos e com belas fotografias!

    ResponderExcluir
  5. Minha opiniao, tira a foto que quiser mas encostar, vai ser dificil, nem numa concessionária, nem no salão o automovel, se nao tiver interesse em comprar um.

    ResponderExcluir
  6. Ptz o cara que senta no capô de uma Ferrari não só deve ser tratado como animal como também merece uma surra! Isso normalmente é coisa de ZN favelado que quer postar a foto por ai e mostrar na comunidade pros mano zica! Mas pra mim o pior pros esportivos são os buracos mesmo, esses sim dão um preju animal!

    ResponderExcluir
  7. Eu tiro fotos,mais em momento algum eu encosto em carro dos outros,porque penso o seguinte:"eu não quero que ninguém encoste no meu carro por isso não vou encostar no dele"...a não ser que o propietário deixe entrar i etc!

    ResponderExcluir
  8. Hugocls: Nessa área não existe essa historia de "ZN" ou "favelado" não! Vemos com frequência pessoas bem vestidas e de bom poder aquisitivo fazendo esse tipo de coisa!

    ResponderExcluir
  9. Na boa, eu acho uma grande palhaçada esse negócio de ficar babando em cima de carrão de playboy. Se o dono não estiver por perto eu olho o carro de longe e admiro, mas se eu ver que o dono está perto finjo que nem tô vendo o carro, é como se fosse invisível pra mim. E porque faço isso? Porque não nasci para afagar o ego de um ostentador, não nasci para ser subjulgado por outro homem e não vou dar oportunidade para o cara tirar onda com minha cara.

    ResponderExcluir