17 de jun de 2011

Pocket rocket


Antigamente um carro com um bom desempenho era necessariamente portador de um enorme motor e consumia mais gasolina que você consegue pensar. O preço do combustível começou a subir em uma escala exponencial, fato que tornou os grandes esportivos em carros nada viáveis de serem utilizados.


A indústria percebendo a procura dos clientes por carros menores e motores mais eficientes começou a trabalhar para não sofrer um maior prejuízo. Em meados da década de 70 começaram a surgir motores de menores cilindradas e com um rendimento acima da média, infelizmente tais motores ainda não eram pareôs para os consagrados V8 e seus derivados.

Com a constante evolução da tecnologia, logo os engenheiros resolveram o problema da falta de potência nos motores pequenos com a utilização de turbos e compressores. Um motor equipado com tal tecnologia chega a render mais que o dobro da potência original do mesmo e com um consumo aceitável.

A evolução nos motores turbos alimentados foi tão grande que atualmente um carro com um motor de 2 litros e quatro cilindros (equipado com um turbo) chega a render surpreendentes 400 cavalos! Compare com a Ferrari 458 Italia, que possui um V8 de 4,5 litros e 570cv.

Com um desempenho equivalente a superesportivos, consumo de um sedã de luxo e características da carroceira de carros pequenos, logo o apelido de Pocket Rocket foi adotado para os pequenos nervosos.


Para quem busca um desses carros com tudo que a tecnologia do “Downsizing” tem a oferecer o mercado não deixa a desejar. Somente nos últimos 5 anos mais de 10 modelos notáveis foram lançados, alguns em pequenas series limitadas, outros com produção ilimitada.

No Brasil temos excelentes opções, o preço que não é nenhum atrativo. Por “módicos” 150 mil reais você já pode adquirir um Mini Cooper John Works, a versão mais apimentada do pequeno inglês. Com um motor de 1.6 litros turbinado e potência de 211 cavalos o John Works e considerado um kart para as ruas.

Outro bom exemplo de foguete de bolso é o Fiat 500 Abarth, porém sua compra ainda é feita somente encomenda em empresas especializadas em importação de carros. O Abarth conta com um motor 1.4 turbo, o famoso T-Jet, com 152 cavalos e muitos acessórios aerodinâmicos e adesivos por sua carroceria.

A BMW acabou de lançar o série 1M, a versão endiabrada da já potente série 1. Com um motor de 6 cilindros em linha aliado a 2 turbos e 340 cavalos com direito a tração traseira, a máquina consegue deixar muito esportivo de grande porte para trás.

A Ford recentemente lançou uma edição especial do Focus, denominada RS 500. Com assustadores 340 cavalos em um motor de 5 cilindros turbo, o carro foi uma espécie de homenagem aos carros de Rally da marca. Muitos dizem que o RS 500 é o melhor carro no seu segmento, mas devido a seu pequeno número de unidades fabricadas seu preço – quando encontrado para a venda – não é muito amigável.

A Audi acabou de lançar o RS3, versão preparada do A3. Com tudo de melhor que o departamento de performance da marca tem a oferecer, o hatch conta com mais de 340 cavalos, um desenho bem agressivo e a tração quattro – seu preço no Brasil ainda não foi anunciado.

Existem outros foguetes espalhados pelo mundo, tentamos listar os mais recentes e que andam dando o que falar. Agora o pensamento de que carro pequeno não consegue acompanhar os grandes não pode ser mais admitido, em caso de dúvida tente fazer um teste drive com um dos modelos acima – ou basta uma simples busca no You tube para você se surpreender.

0 comentários:

Postar um comentário