2 de mar de 2011

Review: Ford Focus

Imagine um carro com os bancos duros, visão traseira nula devido a inclinação do vidro, faz 6 km/l com álcool na cidade e algumas manutenções que as vezes fazem você chorar ao ver a conta! Não era assim que esperava que eu começasse o review do Focus? Pois é, começarei assim para mostrar que apesar de idolatrar o carro serei honesto em cada uma de minhas palavras.
O que realmente diferencia o Focus dos seus correntes não é o Design que para alguns continua moderno mesmo depois de 10 anos e já para outros nunca foi agradável aos olhos, muito menos o atendimento das concessionarias que chega a irritar, o que realmente é tão superior nele assim se chama “Digiribilidade”.
Em TODOS, repito TODOS os reviews de Focus independente do modelo ou geração irá ler “Ele é extremamente divertido de se dirigir”. É difícil explicar, mas os engenheiros do Ford conseguiram algo em que do momento que você da a partida ao que você desliga o carro o sorriso pregado no seu rosto consiga aumentar a cada minuto.
Tenho um Focus GLX 1.6 Flex 07/08 em minha garagem, seu motor com 112 cv no álcool é o menos potente de todos os motores já oferecidos para a geração no Brasil que já contou com os Zetec 1.8 (115 cv) e 2.0 (130 cv) e o Duratec 2.0 (147 cv). Você leitor deve achar então que tal versão do Focus não gera emoções? Muito pelo contrario, tal motor sem muitas dificuldades bate 170 km/h (velocímetro) chegando no limite a 205 km/h (189 no GPS) e isso por ser limitado eletronicamente!!!! Mas o que realmente surpreende é que mesmo em altas velocidade o carro está na sua mão entra e sai das curvas firmes sem dar o menor sinal de instabilidade. Não foi uma única vez que entrei em curvas a 160 km/h sem que o passageiro percebe-se, mas claro sempre em condições de pista mais vazia, com asfalto bom e com o passageiro sabendo que eu poderia estar correndo.

Nas acelerações do 1.6 ficam devendo um pouco, mas as respostas do volante são imediatas, firme e com precisão cirúrgica, é muito legal fazer nele alguns retornos mais animados tendo o carro na sua mão e sentar o pé nas curvas mais abertas. As marchas são muito bem escalonadas proporcionando conforto e diversão.
O acabamento da primeira geração é de dar inveja a muito carro bem mais caro, detalhes em vinil por toda a porta e inclusive couro nas portas dianteiras! Painel com um desenho ousado e matérias de boa qualidade.
O carro tende a sair um pouco de frente, nada muito evidente, mas a traseira está colada no chão em todos os momentos, mesmo nas gracinhas ela nunca nem deu sinal de que iria se perder. Os freios decepcionam um pouco, comprar um 2.0 duratec sem disco nas quatro rodas é praticamente suicídio, mas mesmo nas freadas mais fortes o carro se mantem reto e estável. 

Citei o alto consumo no inicio do artigo, mas devo confessar que meu pé está longe de ser leve, na estrada com meu pai na direção já conseguimos 16 km/l na estrada com gasolina nos registros que tenho de outras pessoas não chega a ser beberrão, mas também não é o mais econômico.

É um carro com mimos interessantes, tem vidros one touch nas 4 portas, quando você da ré com o limpador de parabrisa ligado o traseiro aciona automaticamente, tem botão interno de abertura do porta malas e uma ergonomia fantástica que vai da posição excelente de dirigir aos comando de radio com fácil acesso.
A suspensão do Focus é um show a parte! McPherson na frente e Multilink na traseira, confortável na media certa sem perder a firmeza nas curvas, é algo simplesmente sensacional é a peça principal do conjunto que torna o Focus esse carro prazeroso de se dirigir! É considerada um dos melhores acertos associando conforto e esportividade

Do modelo de entrada 1.6 GL que foi vendido aqui no Brasil ao Focus RS500 e seus 350 cvs vendidos no exterior pode ter certeza que o Focus é um carro que proporciona felicidade a todos os seus donos dando um novo significado ao prazer em dirigir.

0 comentários:

Postar um comentário