22 de mar de 2011

Qual esportivo comprar com R$200 mil – Parte 4


A busca pelo melhor esportivo até 200 mil reais continua. Já avaliamos três grupos distintos; os coupés de dois lugares, os sedans apimentados e os Poney Cars. Cada grupo teve cerca de três opções diferentes, sempre levando em conta o melhor custo benefício.
Agora chegou a hora de avaliar os chamados Pockets Rockets (foguetes de bolso, traduzindo ao pé da letra). A definição básica dos Pocket Rockets é bem simples, carros pequenos com motores potentes e um ótimo desempenho. Como o tamanho dos veículos é reduzido, a potência do motor não precisa atingir números estratosféricos para obter um desempenho digna de superesportivo.

Começamos a lista com o italiano Fiat 500 Abarth, modelo baseado no Fiat 500. Depois de passar pelas mãos da preparadora Abarth, especializada em modificações de Fiat’s, o pequeno carro ganhou um motor de 1,4L turbo com 135 cavalos além de grandes modificações na parte de suspensão e freios.

A versão Abarth tem bons números de desempenho, fazendo de 0 a 100 km/h em 7,9 segundos e chegando a máxima de 205 km/h. A grande vantagem dos pequenos esportivos é o baixo consumo de combustível, segundo dados do fabricante o 500 Abarth chega a atingir a marca de 10 km/l na cidade e 15 km/l na estrada.

Seu interior é muito bem feito, com um bom acabamento e cores bem vivas, destaque para o emblema da preparadora espalhado por todos os lugares. O exterior também não faz feio, o carro ganhou um kit aerodinâmico, novas rodas, faixas com o nome Abarth nas laterais e ponteiras de escapamento duplas.

O modelo não é vendido oficialmente pela Fiat no Brasil, infelizmente, mas é possível importar um modelo da Europa. O preço não é muito agradável, chegando a ultrapassar os 140 mil reais. A Fiat já lançou um 500 Abarth mais apimentado ainda, chamado de Abarth SS que traz como grande mudança um upgrade no motor para 180 cavalos, mas infelizmente foi uma serie limitada e todos já foram vendidos segundo a fabricante.

500 Abarth 1.4 16V Turbo T-Jet

Motor: A gasolina, transversal, 1.368 cm³, quatro cilindros em linha, 16 válvulas e comando simples de válvulas no cabeçote. Injeção eletrônica multiponto sequencial, acelerador eletrônico e turbo compressor com Inter cooler.

Transmissão: Manual de seis marchas à frente e uma a ré. Oferece controle de tração.

Potência: 135 cv a 5.500 RPM. Torque: 21 kgfm a 3 mil rpm.

Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com braços transversais oscilantes inferiores, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira interdependente por eixo de torção, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Oferece controle de estabilidade.

Freios: Dianteiros a discos ventilados e traseiros a discos sólidos. Oferece sistema ABS com EBD de série na versão.

Dimensões: 3,54 metros de comprimento, 1,62 metro de largura, 1,48 metro de altura e 2,30 metros de entre eixos. Oferece duplo airbag frontal de série na versão.

Porta-malas: 185 litros.

Peso: 1.035.

Tanque: 35 litros.

A segunda opção da lista é o Mini Cooper John Cooper Works, versão ainda mais apimentada do já divertido Cooper S. A grande diferença do John Cooper esta no motor, que agora conta com 211 cavalos, contra os 160 do Cooper S. A Mini conseguiu aumentar a cavalaria sem a troca de grande componentes do motor, apenas com ajustes na parte eletrônica e melhoria do sistema de refrigeração.

Com o aumento da potência toda a parte de suspensão, freios e escapamento foram modificados para suportar os 60 cavalos a mais. O John Cooper atinge a máxima de 235 km/h e faz de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos. Seu baixo consumo também merece destaque, chegando a fazer 14 km/l em um circuito misto (cidade – estrada).

O interior do John Cooper remete aos carros de competição, com belos detalhes em alumino e couro por todos os lados. A versão vem equipada com um câmbio manual de 6 marchas, o que torna a pilotagem muito mais divertida. Seu exterior é bem semelhante ao Cooper S, com pequenos detalhes diferentes, como o emblema John Cooper na grade dianteira e as rodas com um desenho diferente.


Felizmente a Mini já oferece em suas lojas brasileiras a versão John Cooper para compra, fato que representa uma boa economia financeira. A partir de 145 mil reais já é possível comprar um John Cooper, lembrando que sua lista de opcionais é bem extensa.
 
Mini Cooper S John Cooper Works

Motor: A gasolina, transversal, 1.6 cm³, quatro cilindros em linha, 16 válvulas Injeção eletrônica multiponto sequencial, acelerador eletrônico e turbo compressor com Inter cooler.

Transmissão: Manual de seis marchas à frente e uma a ré. Oferece controle de tração.

Potência: 211cv.

Torque: 26 kgfm a 1.850 mil rpm.

Suspensão: Independente nas 4 rodas

Freios: Dianteiros a Disco ventilado 316x22mm e traseiros a Disco 280x10mm. Oferece sistema ABS com EBD de série na versão.

Dimensões: 3,71 metros de comprimento, 1,68 metro de largura, 1,41 metro.

Porta-malas: 125/170/660 litros.

Tanque: 50 litros.

O Último carro da lista é recém-lançado Audi A1, o menor dos Audis em fabricação. Seu tamanho é inversamente proporcional a sua potência, pois o mesmo conta com um motor de 1,4 litros turbo com 122 cavalos.

O A1 é o menos potente da lista, porém seu desempenho é razoável. Atinge os 100 km/h em 9 segundos e chega à máxima de 203 km/h. O ponto forte da parte mecânica do pequeno alemão e a utilização do câmbio sequencial de dupla embreagem, e o melhor, é de série.

O consumo do A1 chama muito a atenção devido ao seu baixo consumo, dados do fabricante dizem que é possível fazer 19 km/l em um trajeto misto (estrada-cidade). O carro não faz feio em grandes subidas, seu alto torque em baixas rotações surpreende e quando o motorista menos percebe já esta utilizando a 4º marcha em uma ladeira.

Seu desenho foi um grande acerto da Audi, praticamente todos gostaram do novo modelo. Vale destacar as inúmeras opções de personalização do A1, do arco da carroceria até as costuras dos bancos podem ser modificadas a gosto do cliente. O interior é idêntico aos demais Audis, não deixando nada fora do lugar e sempre bem feito.

O preço do modelo começa em 89 mil reais, e pode facilmente ultrapassar a marca dos 120 mil reais, devido a grande quantidade de opcionais. Interessado em comprar um A1? Entre na fila, pois o sucesso foi tanto que a melhor previsão de entrega, para a compra do mesmo hoje, é prevista para o mês de Maio.

Audi A1 1,4 TSFI

MOTOR - 1,4 litro a gasolina, com quatro cilindros, quatro válvulas por cilindro, injeção direta estratificada de combustível, sobrealimentado com turbo compressor; deslocamento de 1.390 cm³; sistema start/stop, que desliga o motor quando parado e o reativa com o uso do acelerador.

POTÊNCIA - 122 cavalos a 5.000 RPM

TORQUE - 20 kgfm entre 1.500 e 4.000 RPM

TRANSMISSÃO - Tração dianteira; câmbio automatizado S Tronic de sete velocidades e embreagem dupla de acionamento eletroidráulico.

SUSPENSÃO - Dianteira McPherson com braços triangulares; traseira com braços interconectados e molas e amortecedores independentes.

FREIOS E RODAS - A disco ventilados na dianteira e a disco na traseira, com antitravamento (ABS), distribuição de força de frenagem, controle eletrônico de estabilidade, bloqueio eletrônico do diferencial; rodas de 16 polegadas e pneus 215/45 R16.

DIREÇÃO - Eletroidráulica servoassistida

DESEMPENHO - Velocidade máxima de 203 km/h e 0 a 100 km/h em 8,9 segundos

CONSUMO - Média combinada cidade/estrada de 19 km/l

PESO - 1.125 kg e 1.575 kg (máximo)

DIMENSÕES - 3,95 metros x 1,74 metro x 1,41 metro (comprimento x largura x altura)

TANQUE - 45 litros

PORTA-MALAS - 270 litros (920 litros com rebatimento)

CARROCERIA - Em aço; tipo hatchback de duas portas mais a tampa traseira; quatro lugares a bordo.
 

0 comentários:

Postar um comentário