30 de mar de 2011

Garagem - Sistema de escapamento

Responsável pela “expulsão” dos gases provenientes da queima de combustível no interior do motor, o sistema de escapamento é sem duvida indispensável para o bom funcionamento de um veículo.

Um veículo que apresenta algum problema em qualquer um dos componentes do sistema terá seu desempenho e consumo afetados de maneira negativa, além de poluir o ambiente com ruídos e emissões de gases tóxicos acima do permitido pela lei.

O sistema é formado por cerca de 5 componentes, todos estão interligados por tubos, pelos quais os gases são conduzidos. Os componentes são:

- Coletor de escape: Essa peça fica acoplada ao motor e é formada por um conjunto de tubos de ferro fundido. Sua finalidade é coletar os gases resultantes da queima de combustível e encaminhá-los para o tubo de descarga primário, conhecido também por silencioso.

- Tubos de escape: Fazem a ligação entre os demais componentes do sistema.

- Silencioso ou silenciador: Câmara dotada de várias divisões internas por onde passam os gases. Ao passar por esse percurso, as ondas sonoras do ruído perdem pressão e esse processo resulta na redução do barulho gerado pelo funcionamento do motor. Em sua composição também podem estar a lã de vidro ou o basalto.

- Catalisador: É um dispositivo instalado na saída do coletor de escape ou entre o coletor e o silencioso. Sua função é transformar substâncias poluentes, por meio de seus elementos internos de cerâmica, em gases menos nocivos à atmosfera. Ou seja, purificar os gases poluentes com reações químicas.

- Abafador: É o silenciador auxiliar, encarregado de absorver os ruídos mais agudos. Em sua composição também podem estar a lã de vidro e o basalto. Essa peça conta com tubos repletos de pequenos furos e envolve o corpo do escape. No sistema conhecido como refletivo, não existe a presença de lã de vidro. Esse sistema conta com três divisões no seu interior, que configuram uma espécie de labirinto formado por defletores. Ao jogar os gases de uma divisão para outra, o nível de ruído e também as vibrações diminuem por causa do choque das ondas sonoras nas paredes internas do abafador. Trabalha em outra frequência, diferente do silenciador. Geralmente é o ultimo elemento sistema de escapamento no automóvel.

Dicas de manutenção

Para garantir que o sistema de escapamento de carro estará sempre com sua máxima eficácia, alguns cuidados devem ser observados:
- Sempre que possível, verifique os fixadores e abraçadeiras;
- Faça inspeções a cada 3 meses;
- Faça a revisão completa a cada seis meses ou a cada 20 mil quilômetros;
- Se alguma peça do sistema apresentar defeito, estiver corroída ou com falhas, o único conserto é a troca;
- Cuidado ao passar por lombadas ou obstáculos elevados, pontiagudos ou soltos na estrada, como por exemplo um galho de árvore, pois o escapamento pode ser atingido e ficar danificado;
- Evite fazer o carro pegar no tranco. Essa prática pode deixar a gasolina que não foi queimada escorrer pelo sistema de escapamento e isso pode danificá-lo.

Como todos os outros componentes do carro, a vida útil do sistema depende muito do proprietário. Fazendo sempre a manutenção preventiva e tomando os devidos cuidados ao volante, o sistema terá uma maior vida útil maior, o que acaba gerando uma boa economia financeira.

Infelizmente a gasolina brasileira possui uma grande quantidade de álcool em sua composição, fato que reduz drasticamente seu tempo de bom funcionamento. Quanto mais álcool misturado à gasolina, menos o sistema durará. Antigamente um carro permanecia por até 5 anos com o sistema de escapamento sem apresentar nenhum defeito, atualmente esse tempo não passa dos 3 anos, tudo devido a nossa gasolina “batizada”.

No mercado é possível encontrar oficinas que produzem seus próprios sistemas de escapamento, visando um ganho de desempenho e um ronco mais encorpado. O aumento da potência fica em torno de 5%, mas lembre-se que toda modificação interfere diretamente em todos os outros componentes do veículo.

0 comentários:

Postar um comentário