16 de fev de 2011

Garagem – Radiador


Um motor a combustão trabalha transformando a energia proveniente de uma reação química em energia mecânica, basicamente a explosão do combustível dentro dos cilindros e a responsável por movimentar os pistões. A partir do movimento dos pistões a “força” passa por um série de componentes ate a energia gerada chegar as rodas.

Como a combustão gera altas temperaturas, o motor acaba atingindo rapidamente temperaturas acima dos 90º Celsius. Para controlar a temperatura e impedir o “derretimento” do motor, principalmente do bloco, foi criado o radiador.

Assim como o ser humano transpira para controlar a temperatura do corpo, utilizando principalmente a água como liquido refrigerante, um veículo de combustão interna usa uma serie de fluidos para manter sua temperatura ideal.

Um radiador é formado por uma espécie de colméia por onde passam centenas de pequenos tubos interligados. Os tubos recebem toda a água proveniente no motor, chamada parte quente, e após a passagem pelo sistema de refrigeração, a água retorna ao motor em uma temperatura bastante inferior a da entrada, chamada parte fria. Lembrando que o radiador também conta com a ajuda de uma ventoinha e da própria velocidade do carro para esfriar o fluído.

Normalmente, o radiador possui próximo a ele, um tanque para fluidos. O tanque tem como função alimentar todo o sistema do veículo, além de servir como reservatório quando o liquido tem um aumento de volume (caso que ocorre com o aumento da temperatura). Não é recomendável encher o recipiente com fluido até o “talo”, e sim completá-lo até a marca feita pelo fabricante na lateral do mesmo, pois existe o risco de “explosão” devido à pressão do sistema.

Fabricantes não recomendam a utilização de água em radiadores, segundo eles a água possui agentes oxidantes, que com o passar do tempo acabam causando ferrugem e entupimento nos tubos. O recomendando é a utilização de fluidos próprios para o sistema de arrefecimento, que podem ser encontrados em oficinas e até mesmo supermercados, basta olhar no manual do proprietário as especificações.

Um radiador aliado a um sistema de arrefecimento bem regulado não necessita de complemento do fluido com freqüência, pois o sistema é lacrado, não havendo como ocorrer a perda significativa dos líquidos. Mas não se esquece de conferir o nível do reservatório sempre que puder afinal a prevenção não custa nada.

Os novos radiadores são construídos a base de alumínio, devido a sua alta capacidade de troca calorífica. Os mais modernos contam com palhetas inseridas dentro dos tubos por onde a água circula, com a função de maximizar a redução de temperatura do liquido. Fato que ocorre devido à “agitação” provocada pelas palhetas, que impedem que somente a superfície do líquido seja afetada.

Caso o seu carro apresente problemas relacionados à alta ou baixa temperatura, não espere o mesmo para por completo, leve-o o mais rápido a uma oficina, pode ser um simples entupimento ou até um radiador furado.
 

0 comentários:

Postar um comentário