9 de fev de 2011

Garagem – Cinto de segurança

Esquecidos por muitos motoristas, e principalmente passageiros, o cinto de segurança é um item obrigatório em todos os veículos em praticamente todo o mundo. Sua principal função é a de segurar o corpo da pessoa em colisões ou freadas bruscas, evitando ferimentos mais graves.

Inicialmente, o cinto de segurança, foi projetado apenas com duas pontas, pedindo a pessoa somente pelo abdomem, deixando o tronco “solto” e não sendo muito confiável. Com o passar do tempo foi introduzido o cinto de três pontas, o mais comum entre os veículos atuais, porém carros populares ainda utilizam o cinto de duas pontas no banco traseiro.
Carros esportivos e de corrida utilizam o cinto de quatro/cinco pontas, o mais seguro entre todos, pois o mesmo não permite nenhum tipo de “rolagem” do corpo em momentos críticos. Sua desvantagem é a dificuldade para colocá-lo, pois são no mínimo duas fivelas para conectar.

As maiorias dos cintos de segurança estão fixados ao chassi dos veículos, parte mais rígida do mesmo. Alguns modelos trazem uma regulagem de altura, além dos ajustes lombares já tradicionais, todos muito simples de regular. 
Pelo código nacional de transito brasileiro, o motorista flagrado sem o cinto de segurança comete multa grave, perdendo cinco pontos na carteira de habilitação e tendo que pagar 127,69 reais por ocupante sem cinto no veículo.

O uso do cinto não prejudica em nada a dirigibilidade do carro, muito menos o conforto. Muitas pessoas usam a desculpa de que o cinto amassa as roupas, mas melhor uma roupa amassada do que seu rosto espatifado no para brisa.
Esse vídeo mostra o quanto é importante o uso do equipamento. Apesar de ser uma montagem feita com bonecos de crash test, houve estudo, e esta foi uma das possibilidades apresentadas. As vezes uma única pessoa sem cinto pode matar todos os ocupantes do veículo e continuar viva. Como você viveria com isso?
<iframe title="YouTube video player" width="480" height="390" src="http://www.youtube.com/embed/e6Qhmdk4VNs" frameborder="0" allowfullscreen>iframe>

0 comentários:

Postar um comentário