Por Dentro das Novidades

Tudo sobre os modelos recém chegados

Flagras dos nossos leitores

Os melhores flagras feitos por nossos leitores!

Novidade Polêmica!

A novidade mais comentada do ano

Retrovisor - Julho

O melhor do mês que passaou!

30 de jun de 2010

Evolução do Freio

Quando o homem inventou a roda ele não pensou em como parar o seu movimento rotacional, o que criou um grande problema devido a falta de segurança ao utilizar qualquer meio de transporte sobre rodas, pois não era possível parar sempre que desejado, e pior, poderia desenvolver uma velocidade a qual causaria sérios danos aos passageiros.

Tentando solucionar tais problemas, logo uma serie de sugestões foram propostas, antes da revolução industrial a que mais era utilizada era um sistema d alavancas, semelhante ao utilizado em carrinhos de rolimãs atualmente, um sistema bem precário para veículos motorizados.

Em 1902 em uma estrada de terra na cidade de Nova York chamada Riverside Drive. Ransom E. Olds testou um sistema muito parecido com o freio a tambor em uma carruagem, mas o freio era externo a roda, o que causava uma fadiga muito precoce do sistema, alem da insegurança em situações mais extremas. Com o passar do tempo conseguiram montar o conjunto do freio tambor como um sistema interno, o que acabou com os problemas dos freios externos, tornando-os populares em grande quantidade dos carros.

Na mesma época, o freio a disco já vinha sendo desenvolvido, porém havia o problema do atrito entre o disco de metal com a “pastilha”, que na época era de um material metálico também, o que gerava um grande desgaste e ruído. Em 1907 Herbert Frood solucionou o problema, produzindo uma “pastilha” de amianto. Com os problemas sanados, logo os freios a disco tornaram-se populares em carros mais caros.

O sistema hidráulico apareceu somente em 1921, devido ao grande aumento da potência dos carros, sua vantagem era a frenagem mais intensa com menos deslocamento do pedal do freio, mas tal sistema não foi muito bem aceito pela industria de imediato, ficando restrito a carros de competição até a década de 40.

Existe o sistema de freio a vácuo, elétrico é até magnéticos, porém não são muito utilizados em larga escala devido ao alto custo i dificuldades de manutenção.

Grande parte da evolução dos freios baseia-se no aprimoramento do freio a disco, devido a sua melhor capacidade de frenagem e manutenção. A maior parte dos avanços são testados em carros de competição antes de serem instalados em carros populares. No começo da década de 1950, equipes de corrida perfuravam os discos de freios, buscando um menor peso e uma maior eficiência devido a maior dissipação do calor gerado pelo atrito.

Com a evolução constante, novos materiais foram utilizados para a fabricação dos discos, como a cerâmica e o carbono, as pinças que contavam com apenas 2 pistões, agora contam até com 6 em cada roda, o diâmetro do disco sofreu um grande aumento, buscando uma maior área de contato entre as pastilhas e o disco.

A introdução da eletrônica nos carros trouxe novas opções para o sistema de frenagem, o mais conhecido atualmente é o ABS (Antiblockier-Bremssystem), que tem como principal função evitar o travamento das rodas em uma frenagem brusca, reduzindo o espaço necessário para parar totalmente o carro, aumentando assim a margem de segurança do veiculo.

Com a eletrônica também foi possível criar um sistema que distribui a força de frenagem na roda que estiver com o maior atrito naquele momento, conhecido como EBD (eletronic brake distribuition), que funciona em conjunto com o ABS, proporcionando uma maior segurança ao veiculo.

      Freio da Ferrari 430 Scuderia

29 de jun de 2010

Humor

O Efeito da crise!

28 de jun de 2010

FERRARI 430 SCUDERIA

Feita para suceder a Ferrari 360, que por sinal marcou época, a f 430 foi apresentada no salão de Paris, em 2004, com a assinatura do famoso estúdio de design Pininfarina, além do motor V8 de 4,3 litros, 490 cavalos e transmissão semiautomática de 6 velocidades.

Em 2007 foi apresentada a versão Scuderia do modelo 430, onde havia o aumento de 20 cv a mais, em relação a 430 comum, o alivio de 100 quilos e um novo software para a transmissão, tornando as trocas de marcha mais rápidas ainda!!

Tive a oportunidade de andar em uma Scuderia modelo 2009, com menos de 2 mil quilômetros rodados, a primeira vista um carro muito bonito, com suas listras cinzas pela carroceria pintada em vermelho roso, rodas em um tom dourado, i suas intimidantes pinças de freio pintadas em vermelho acompanhando os discos de carbono.

Ao entrar na maquina, logo estranhei o tapera no estilo chão de “busão”, mas me falaram que isso era original de fabrica, a meu ver um acessório bem grotesco para um carro desse nível. Os bancos muito bem feitos, com um encaixe muito ergonômico com o corpo, painel simples e intuitivo, sem frescuras. No modelo que andei não havia nenhum aparelho de som, o que achei muito bom, porque quem tem um V8 ligo atrás da cabeça não vai querer ouvir nenhum outro tipo de ruído, só sendo um doente que não sabe o que tem em mãos.

Em rotações baixas o carro é silencioso como um europeu luxuoso, mas aperte o acelerador, e faça com que o conta giros ultrapasse os 3 mil giros, ponto em que as válvulas são totalmente abertas. Prepare para um grande soco no estomago, um barulho maravilhoso e ensurdecedor, seu corpo travado no banco, trocas de marcha q mais parecem um tiro de escopeta, frenagens que seu cérebro não acredita q sejam possíveis!!!
Foi um experiência incrível, dos 40 aos 220 Km/h em menos de 10 segundos, i dos 180 aos 60 km/h em menos de 50 metros, carro de corrida literalmente!

Quem sabe um dia não compro uma Scuderia, que hoje no Brasil custa a bagatela de 1,4 milhão de reais , mas antes dela compro minha lamborghini Murcielago SV, carro dos meus sonhos!
Abaixo algumas fotos de uma Scuderia, a qual eu não andei(a que eu andei esta no post anterior), essa em questão foi do piloto de F1 Felipe Massa, e conta com sua assinatura no painel! Além de uma cor muito bonita, vermelho rosso f1!

4722557086_8a508bd38f_b.jpg (560 KB)4721906669_aa6d35837e_b.jpg (544 KB)4721907879_f67c67bbd6_b.jpg (403 KB)

Lembrando do Video OnBoard na Scuderia!

27 de jun de 2010

Começando o blog com o pé direito!

Depois de mais de 6 meses, procurando por toda Belo Horizonte, gastando tanques e mais tanques de gasolina, aguentando os amigos, que também tiram fotos, falarem que eu era o único q ainda não tinha visto a Ferrari 430 Scuderia mineira, finalmente eu consegui!!

Foi um sábado diferente, pois estava acontecendo o Espaço Mercedes Benz no Aphavile, evento onde a marca alemã mostra suas novidades e tem alguns dos modelos disponibilizados para o test drive, mas em outro posto falo mais sobre ele. Por volta das 11 da manha recebemos uma ligação de um colaborador, Papito, falando q a Scuderia estava na Avenida Raja Gabaglia, como já estávamos voltando pra BH, devido a um incidente com um amigo meu, resolvemos ir para a Raja o mais rápido possível!!!

Chegamos na raja e achamos a Ferrari em frente a loja da BMW, e para a surpresa d todos, era outra Scuderia, mas não apenas uma outra, e sim a Scuderia q foi do Felipe Massa!!!, com direito a assinatura no painel e tudo!!!!!. Mas o dono estava com um pouco de pressa, e logo foi embora.

Voltando para o Alphavile, com a imagem da scuderia ainda na cabeça, sentamos para almoçar. Durante o almoço, ouvimos um barulho bem incomum, quando olhamos para a rua, uma Scuderia passando, e parando no evento da Mercedes, engolimos resto do almoço é corremos até ela!

Para a surpresa de todos, era outra Ferrari, essa sim a que todos já tinham visto, menos eu, ficamos sem palavras, 2 scuderias em BH, i vimos as 2 no mesmo dia!!!!. Começamos a tirar fotos, filmar, babar... até o proprietário dela apareceu, destravou o alarme, olhou para agente i falou

- “bonita né!?”,

- “quer da uma volta?”

Imediatamente fui em direção ao carro, enquanto Danilo, Rodrigo e Gustavo estavam processando a informação ainda,kkkkkkkkkkkkkk. Entrei na Ferrari com a câmera em uma mão, já preparando pra gravar o meu 1º On Board!

O dono da maquina mostrou o porque dela ser tao admirada, acelerações brutais, marchas trocadas em milésimos de segundo, ronco maravilhoso( por isso concordo com o proprietário de não colocar um aparelho de som no carro!!), freadas que seu cérebro não consegue acreditar, além claro, de todos os olhares em sua direção!!!

Em um próximo post eu falo mais do carro, e menos de mim, mas ainda estou sem acreditar no ocorrido!

Abaixo algumas fotos da Ferrari 430 Scuderia, que tive o prazer de andar!

Para fechar com chave de ouro o 1º post, eis o vídeo de tudo!