15 de dez de 2010

Garagem – Formato dos motores

Com certeza você já deve ter ouvido falar sobre motores V8, V12 ou 4 cilindros em linha e até mesmo no motor Boxer. Para grande parte das pessoas tais nomes são uma incógnita, e não fazem a mínima ideia do formato do motor do próprio veiculo.


Para tentar facilitar a vida de vocês, nos da equipe BH Exotics, resolvemos falar sobre os principais formatos, suas vantagens e desvantagens e em qual carro são normalmente encontrados.

Atualmente o mercado possui 3 opções em larga escala, em linha, em V e Boxer. O formato e a quantidade de cilindros depende da necessidade do veiculo, um carro popular com um motor V8 não seria uma coisa coerente.

Vamos começar pelo motor em linha, mais comum no mercado brasileiro devido a seu baixo custo de construção e manutenção. O próprio nome já demonstra que os cilindros estão dispostos em linha (um atrás do outro, ou uma ao lado do outro), podendo ser montado longitunalmente ou transversalmente.

Tem como ponto forte sua fácil instalação e manutenção, menor número de peças(quando o veículo for tração dianteira e o motor estiver também na dianteira), seu tamanho reduzido em relação aos outros e a fábrica tem um menor custa na sua fabricação.

Devido ao seu posicionamento ser geralmente na dianteira, o que limita muito seu espaço, os motores em linha não podem conter muitos cilindros. A configuração com 4 cilindros é a mais comum, mas existem as de 5 e 6 cilindros que estão sendo substituídos por outros formatos. Com o espaço restrito, a cilindrada também não pode ser grande, o que acarreta em motores que não geram muita potência sem o auxilio de outros componentes como turbos compressores.

Os motores em V, tradicionais em carros superesportivos, também é muito utilizado em grandes sedans e utilitários. Recebe o nome de motor em V, devido ao posicionamento dos cilindros, que estão dispostos em 2 linhas paralelas e inclinadas, formado um desenho da letra V.

Como pontos positivos pode-se destacar o seu tamanho compacto, onde é possível ter um maior número de cilindros em um menor espaço necessário no cofre do motor. Com o maior número de cilindros e possível uma maior cilindrada, consequentemente uma maior potência. São motores mais estáveis, “tremendo” menos o carro em condições normais.

Devido ao seu custo mais elevado, tanto na fabricação como na manutenção, o motor em V não é utilizado em carros populares. Geralmente é encontrado acima dos 6 cilindros(V6) e pode chegar até a conter 12 cilindros(V12) normalmente, porém quanto mais cilindros maior o consumo de gasolina.

O motor Boxer, utilizado principalmente pela alemã Porsche(lembrando que o Fusca também utiliza tal motor), possui um arquitetura bem diferente a dos seus concorrentes. Os pistões são montados na posição horizontal (sim, deitados em relação ao solo) e estão contrapostos.

Tem como grande vantagem o baixo centro de gravidade, muito importante para fazer curvas com segurança. Possui também um bom torque em baixas rotações, tornando-o mais econômico.

Sua desvantagem é a grande dificuldade de acesso para possíveis manutenções e troca de peças, pois o motor é geralmente montado próximo ao solo, sendo acessível somente pela pare de baixo do veiculo. Como é um motor pouco difundido no mercado, seu custo de manutenção é alto, quando encontramos alguém apto ao serviço.

Existem outros formatos de motores em uso, como o wankel (conhecido como rotativo), e que apresenta um funcionamento muito diferente dos demais. Ele utiliza rotores com formato semelhante ao de um triângulo em vez dos pistões dos motores alternativos convencionais.

Possui muitas vantagens quando comparados aos concorrentes, menor consumo, menor ruído gerado, maior torque, maior potência e durabilidade. Porém seus pontos negativos são graves, seu custo de fabricação é muito alto devido à baixa tolerância das peças, sua temperatura excede o limite em altas rotações com muita facilidade.

Agora que você já conhece os formatos e tipos de motores, pense antes de comprar seu próximo veiculo, evitando possíveis dores de cabeça e decepções com o “coração” do seu carro.

0 comentários:

Postar um comentário