9 de set de 2010

Porque uma Ferrari é tão cara?

Métodos especiais na produção são a justificativa para o carro custar cerca de R$2 milhões.
Os carros da Ferrari podem não ser os mais rápidos do mundo e talvez nem os mais confortáveis, mas sua linha de montagem inclui até exame de raio-X.


Puro Luxo!

Com detalhes mais incomuns no processo de produção de uma Ferrari, onde grande parte, do mesmo, ainda é feito manualmente, por funcionários rigorosamente treinados. Após a conclusão tudo é checado por técnicos qualificados.

Linha de montagem

Duplas de mecânicos divididos em cinquenta estações de trabalho sucedem-se nessa missão. Um gaveteiro com todas as peças de que precisarão se move ao lado do futuro veículo, e, a cada 25 minutos, os operários precisam ter concluído sua parte no processo. Se um deles atrasa, complica a realização da meta, que é de 24 carros por dia.

Clima

Dentro da fábrica existem cerca de 1000 árvores plantadas para criar a humidade do ar ideal para fabricar o motor, fixada em 21 graus.

Locomoção

Quando precisam cruzar distâncias maiores, os funcionários o fazem sobre duas rodas: há 100 bicicletas disponíveis para isso

Estofado

O couro (legítimo) que se usa no carro é costurado todo à mão. E o comprador pode escolher desde a cor da costura até os pedais.

Motor.

Cada uma das 800 partes do motor passa por um raio-x. Caso seja encontrado micro rachaduras e imperfeições, volta-se ao molde para fazer uma nova peça.

Pintura.

Existe controle rígido na pintura, um aparelho mede a densidade de cada camada de tinta. Caso haja diferença, trabalho é reprovado.

Todos únicos.

Cada motor é feito a partir de modelos de areia e resina, e são destruídos logo depois do carro ficar pronto. Logo, nenhum motor Ferrari é idêntico ao outro.

Circuito

A pista de Fiorano, inaugurada em 1972 e constantemente reformada. Seus 2 976 metros de extensão são repletos de equipamentos de ponta. Desde 2002, um sistema de irrigação inunda o circuito em minutos para testar como os bólidos se saem ao rodar em estradas molhadas.

Restauração

Em funcionamento desde 2006, o “galpão” conta com quinze funcionários que restauram até trinta veículos paralelamente. O processo, dependendo do que o cliente pedir, pode demorar até dezoito meses para ser concluído. Em alguns casos, chega a custar quase tanto quanto um modelo zero-quilômetro

Curiosidade

A maior bandeira de Formula 1 é brasileira e é da Ferrari.

Um video com um pouco mais da Marca!

1 comentários:

  1. Parabens pelo sucesso de vocês, continuem assim

    abs SPFC14

    ResponderExcluir