22 de set de 2010

Garagem - Transmissão


Um veículo é muito mais do que um motor, pneus e lataria. O motor, sozinho, e totalmente inútil para um carro, pois não haverá nada que transfira a força gerada para as rodas.  O sistema de transmissão é o responsável pela transferência de forças, motor para rodas, além de permitir um melhor aproveitamento do conjunto.
Cãmbio das antigas Ferraris


 Os veículos precisam de uma transmissão por causa das rotações do motor. Essas rotações possuem um limite, representadas por uma faixa de giros em que se atinge o máximo de potência e torque. Se passar desse limite o motor poderia explodir, assim a transmissão permite que as rotações e em consequência a velocidade estejam em níveis abaixo desse limite. A transmissão permite que a relação entre o motor e as rodas motrizes mude à medida que a velocidade do carro aumenta ou diminui.
Painel da Ferrari 458 Italia, conta giros com os números críticos em vermelho
A transmissão se divide em três: embreagem, caixa de marchas (câmbio) e diferencial.

Embreagem

Responsável pela ligação entre o motor e a caixa de marcha. Sua principal função é a de “desligar” a ligação, quando acionada, para possibilitar uma troca de marcha suave e sem danos ao sistema. É o componente que mais sofre em todo conjunto, principalmente quando o carro possuir um câmbio manual, devido as barbeiragens dos motoristas e falta de manutenção. Quando danificada somente uma nova pode ser utilizada, as famosas seminovas não valem o risco de ficar a pé depois(sem embreagem seu carro não sai do lugar!).
Kit de Embreagem
Caixa de Marchas

O câmbio tem a função de ajustar as rotações do motor a velocidade requerida pelas rodas, tanto para mais como para menos. Várias engrenagens são utilizadas para permitir uma gama de multiplicações e reduções(coisa muito técnica para ser explicada em um texto). Com a escolha da marcha certa o carro consumirá menos, tanto gasolina como manutenção. Cada modelo tem sua faixa de rotação ideal, então consulte seu manual do proprietário e veja como aproveitar ao máximo seu carro.
Caixa de marcha "aberta"
Diferencial

O diferencial é formado por várias engrenagens e permite que as rodas de um mesmo eixo girem em velocidades diferentes, o que facilita fazer uma curva, por exemplo. As rotações que saem do câmbio também podem sofrer reduções no diferencial antes de chegarem as rodas. A energia mecânica é finalmente transmitida às rodas motrizes por meio de um semi-eixo existente em cada um dos lados do diferencial.
Diferencial por dentro.
Em carros com o motor na frente e tração traseira existe um complemento na transmissão, chamado de eixo cardã(faz a ligação do motor ao eixo de tração). Os automóveis com motor na dianteira e com tração dianteira ou com o motor atrás e tração nas rodas de trás dispensam o eixo cardã.
Eixo cardã ligando o motor a caixa.
 Atualmente podemos encontrar diferentes modelos de transmissões, manual, automática, semiautomática, etc. A versão mais comum no Brasil é a manual, devido ao baixo custo e fácil manutenção(além de ser a melhor para uma direção mais “divertida”). A automática é uma boa opção para grandes cidades, onde os congestionamentos são gigantescos, e ficar trocando de marcha a cada segundo é irritante! Mas devido ao seu custo elevado, ainda não é a mais popular, porém sua manutenção é quase nula. Já a semiautomática consiste em um sistema robótico que faz o papel de pedal de embreagem, deixando assim o motorista mais confortável, porém muitos sistemas costumam dar certos trancos, e sua manutenção é um pouco salgada em relação a manual.

Lamborghini Murciélago LP640", detalhe para o "N" de neutral ou "ponto morto"

Caso você esteja em dúvida sobre qual sistema adquirir, saiba que uma “tocada” mais esportiva não será possível com os câmbios automáticos e semiautomáticos convencionais. Caso o procurado seja o conforto e comodidade, opte pelo automático, seu único trabalho será de acelerar e frear( o falta de graça!). Já o semiautomático é um meio termo, pois o motorista pode trocar as marchas, porém sem o uso do pedal(adeus punta taco).
Lamborghini Gallardo
Lembrando que os sistemas estão em constante evolução, hoje temos os sistema de dupla embreagem, que faz a troca em milésimos de segundo, aliado ao câmbio semiautomático(essa configuração é vista em carros esportivos e de alto luxo). A tendência é de que alguns anos o câmbio manual acabe tornando-se um item raro nos automóveis, infelizmente, devido ao maior investimento nos demais sistemas.
Porsche Cayman S - Cãmbio de dupla embreagem (PDK)


0 comentários:

Postar um comentário